Sunday, April 23, 2017

Democracia alheia



Dois mecânicos conversavam ontem, sábado, 22 de abril, num bar de Cremona, Itália.

▬ Seria legal se voltássemos a ter um rei.

▬ Tá maluco…?

▬ Um cara meio doido, que executasse quem se aventurasse a lhe fazer oposição.

▬ Entrou pro partido da monarquia? Eu é que não quero viver à sombra de um mandão decidindo a minha vida.

▬ Um rei com uma meia dúzia de ministros e mais os parentes e cunhados – que cunhado não é parente – livres de roubar. Um rei e seus quarenta ladrões.

▬ Da última vez não deu certo…

▬ Isso porque vieram com aquela conversa mole de igualdade, liberdade…

▬ E você acha correto deixar a nobreza roubar do povo?

▬ Seriam só uns quarenta, cinquenta. Hoje, quantos são? Dez mil, vinte mil?

▬ Ainda prefiro a democracia.

▬ O quê…? Não escolhemos em quem votar, votamos em quem decidem eles; reduzem os nossos benefícios e salários, enquanto os deles só aumentam; chamam de vagabundo quem trabalhou a vida toda pra se aposentar; decidem até o que podemos ou não fazer e criam leis para se protegerem… Se isso é democracia, então eu não sei o que é ditadura.

.

4 comments:

Sissym Mascarenhas said...

Parece que falavam do Brasil!
Desigualdades e corrupção em todo planeta.

BIA said...

Se encaixa perfeitamente ao Brasil: "Se isso é democracia, então eu não sei o que é ditadura". Sem dúvida uma falsa democracia com políticos corruptos, um governo estelionatário e desonesto. Assim está o Brasil!

Cris Fonseca said...

Pelo visto não é só o Brasil que está nessa situação. Quero rei!!!

Siti web Reggio Emilia said...

Grazie mille per il post nuovo